Comunicação Médico-Doente

 

A comunicação eficaz entre os médicos e os doentes é fundamental para assegurar o êxito do tratamento1. Se os médicos não compreenderem integralmente a condição particular dos seus doentes, é menos provável que seja implementado um tratamento analgésico individual.


A experiência da dor é individual - alguns doentes poderão preferir aceitar um nível mais elevado de dor em contrapartida de menos efeitos secundários, enquanto que outros consideram que a analgesia tem uma importância fundamental. A tentativa de estabelecer alvos arbitrários, tal como “uma redução de 30% da intensidade da dor”, praticada em muitos ensaios clínicos, nem sempre é significativa na prática clínica. Os doentes individuais têm objectivos terapêuticos e expectativas individuais cuja satisfação representa o critério indispensável a um tratamento eficaz.


O Painel Consultivo de CHANGE PAIN desenvolveu um novo instrumento de comunicação fácil de utilizar que visa avaliar a dor através de uma abordagem mais holística, tomando em consideração as expectativas do doente em relação ao alívio da dor e à melhoria da qualidade de vida – a Escala CHANGE PAIN.

 


Referência:
1 Varrassi G et al. Pharmacological treatment of chronic pain - the need for CHANGE. Cur Med Res Opin, 2010, 26(5): 1231-1245.
 

A Comunicação Médico-Doente é a Chave para o Tratamento



Dr Gerhard H.H. Müller-Schwefe

 


EFIC